sábado, 1 de novembro de 2014

Luta por mudanças continua,diz SINMED AL


logo mascote sinmed alagoas

LUTA POR MUDANÇAS CONTINUA

A vontade do povo, explicitada nas urnas, não prevaleceu. Agora a expectativa é de que prevaleça a democracia. A eleição presidencial de 2014 foi uma grande lição e mostrou que a população não aguenta mais tanta corrupção, tanta roubalheira e tanta impunidade. A mobilização continua e a população consciente, que não troca voto por esmola, vai ficar vigilante para impedir que os desmandos prossigam no mesmo ritmo dos últimos 12 anos no novo mandato da presidente reeleita.

Em todo o País, a população que clamou por mudanças e ficou indignada com os resultados das urnas já busca novas estratégias de luta e de conscientização para que os brasileiros que ainda acreditam em programas assistencialistas como tábua de salvação se tornem capazes de entender o que acontece no Brasil. Eles devem perceber que o País precisa, principalmente, de investimentos em ensino básico e fundamental, saúde e segurança pública.

Sem educação básica não adianta Prouni nem Pronatec. Estudante que não sabe ler não tem como acompanhar um curso técnico ou universitário. E também não adianta trazer intercambista cubano para trabalhar como médico, porque até um agente de saúde sabe que para dar assistência à saúde da população é preciso que se tenha, no mínimo, posto de saúde e hospital bem estruturado.

Diante de todos os escândalos dos últimos anos e que vieram à tona em 2014, o certo é que a população permaneça atenta às denúncias, cobre explicações e exija seriedade e transparência. Ninguém aguenta mais um governo que pratica e que é tolerante com a corrupção. Não podemos desistir do Brasil.
Leia Mais ►

Renan Filho deve assumir antes do prefeito



logo sinmed alagoas

Ao que tudo indica o governador eleito de Alagoas, Renan Filho, deve assumir o cargo antes do prefeito de Maceió, Rui Palmeira – eleito em 2012, empossado há quase dois anos, mas que ainda não tomou as rédeas da administração. A saúde na Capital nunca esteve tão relegada. O abandono é total nos postos de atendimento, onde falta de tudo.

O clima entre os servidores médicos é o pior possível. As queixas vão desde a falta de condições éticas de trabalho até o descumprimento da lei que criou e implantou o PCCV da categoria. Os ganhos do plano de carreira estão congelados desde o início de 2013.

Como o prefeito nunca foi visto pessoalmente por nenhum médico, e também nunca recebeu a diretoria do SINMED - apesar dos reiterados e insistentes pedidos de audiência - há até quem duvide que ele more em Maceió. O desinteresse em ao menos saber das reclamações da classe médica e dos usuários da rede pública de saúde ofende e irrita.

Infelizmente, não dá para escrever aqui que esse prefeito é o primeiro político despreparado, omisso e sem perfil administrativo que se elege para um cargo executivo em Alagoas. Algumas das tradicionais famílias da política local têm fama de produzir parlamentares mais ou menos e administradores nota zero – ou vice-versa. Rui Palmeira parece estar aí apenas para confirmar essa fama.

Leia Mais ►

Servidor Alagoano sonha com concurso

logo sinmed al


Servidor sonha com concurso

Mais uma vez, em 2014 os médicos do serviço público não tiveram motivos para comemorar no Dia do Servidor, lembrado em 28 de outubro. Em Alagoas, faltando menos de dois meses para a posse de um novo governador, a categoria procura manter as esperanças de melhorias. Esperanças de investimentos na saúde como um todo: infraestrutura e manutenção, abastecimento e recursos humanos – de qualidade, em quantidade suficiente, concursados e dignamente remunerados.

No caso dos médicos, a realização de concurso público para recomposição dos quadros da Sesau e Uncisal é importantíssima. Já passou muito do tempo. Os quadros hoje são formados, predominantemente, por profissionais precarizados, contratados como prestadores de serviços. O último concurso data de 2004 e, desde então, por conta dos baixos salários e da falta de condições éticas cerca de 1,3 mil deixaram o Estado. A maioria pediu demissão, após aprovação em concursos realizados por estados vizinhos, como Pernambuco, que pagam um salário-base três vezes maior que Alagoas. Também ocorreram muitas aposentadorias, sem falar nas mortes.

No entanto, ao longo dos últimos oito anos o discurso do governo empacou em supostos impeditivos da Lei de Responsabilidade Fiscal, para justificar a não realização de concurso público. A LRF, porém, nunca foi obstáculo à contratação de Organizações Sociais e nem dos prestadores de serviços, com salários até quatro vezes maiores que os dos servidores efetivos. A esperança que se mantém é que o próximo governador rejeite esse discurso, pense na população e invista na saúde da população.

Leia Mais ►

Defensoria do SINMED convoca médicos



logo sinmed al


A Defensoria do SINMED convoca todos os médicos da rede estadual interessados em participar da ação judicial para reivindicar vantagens salariais que entreguem no sindicato uma cópia da ficha financeira, a partir de 1994. O documento é fornecido pela Secretaria da Saúde e todo servidor tem direito de reivindicá-la.

No SINMED, a ficha financeira de cada servidor será anexada à ação que já está na Justiça. Os médicos que não entregarem suas fichas financeiras terão seus nomes excluídos da ação judicial, para que a mesma possa ter continuidade e os médicos que entregaram a documentação completa não sejam prejudicados.
Leia Mais ►

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Diosdado Cabello acusa vidente brasileiro de planejar atentados terroristas contra Venezuela



Reinaldo Dos Santos: "A falsificação do áudio não vai me tirar dessa luta"


Com mensagens de esperança,criando hastags e ouvindo a todos sem distinção, Reinaldo dos Santos , é um defensor incansável dos Direitos Humanos . 


Após o áudio apresentado pelo Presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Diosdado Cabello, nesta quinta-feira,envolvendo o vidente brasileiro em planos de conspiração contra a Venezuela, Reinaldo Dos Santos respondeu que vai continuar com a luta. 

"Não pensem que um áudio falsificado vai me tirar da luta.Procurem inventar outra, porque essa não vai me pegar ", expressou em sua conta na rede social Twitter @reinaldoprofeta.


Anteriormente o chamado "Profeta da América", escreveu na rede: "Não deixem de assistir hoje no programa de @dcabellor a bombástica suposta conversa entre mim e um sapo de Diosdado. Espalhem a notícia! ". 




A resposta do Profeta da América

Leia : Carta aberta ao meu Carrasco Diosdado Cabello no link http://www.reinaldodossantos.com/blog/carta-abierta-mi-verdugo-diosdado-cabello/


Editado e traduzido pelo Blog Alagoas Real.
Se copiar é obrigatório citar a fonte original,e o Blog Alagoas Real,com seus links anexos!

Reinaldo Dos Santos: “Un audio falsificado no me va a sacar de la lucha”


Comentário do Blog:

No vídeo, a voz que representa Reinaldo dos Santos,a partir de 1:53 comenta que no dia seguinte ao atentado ,a Venezuela não vai ter dívidas porque tudo vai ser pago. A outra voz pergunta como ele vai fazer isso. A voz que representa Reinaldo diz :tenho um amigo brasileiro,que vai colocar dinheiro e comprar toda a dívida externa da Venezuela em troca de receber a concessão para montar uma fábrica de Nafta na Venezuela.No Brasil ele é conhecido como o Rei da Soja, é um dos homens mais ricos do Brasil, de uma corporação chamada Bonfiglioli , Essa corporação controla uma empresa que se Chama " Sica" que é uma indústria de alimentos.Tudo que é enlatado no Brasil é "Sica"


Andei checando os dados fornecidos no vídeo, e a empresa citada ,não mais existe, e o Rei já não tem reinado!


VÍDEO APRESENTADO POR DIOSDADO CABELLO- FONTE VTV





Veja também:




18 mar. 2014 : O Brasileiro Reinaldo dos Santos ,conhecido mundialmente como O Profeta da América ,é o porta voz da liberdade e uma bandeira de luta no twitter contra a tirania imposta pelo governo Castro comunista da Venezuela de Nicolas Maduro .
Leia Mais ►

Opressão SA, o novo modelo de espionagem e repressão exportado por Cuba

O regime dos irmãos Castro, que tem contido com sucesso qualquer manifestação de oposição em Cuba há mais de cinco décadas, transformou sua experiência na repressão e no controle social em lucrativos produtos de exportação e oferece a países aliados como Venezuela serviços para espiar e oprimir seus próprios cidadãos.
Opressão SA, o novo modelo de espionagem e repressão exportado por Cuba
Raul Castro  e Nicolás Maduro (à direita) conversando na segunda-feira 20 de outubro de 2014, em Havana (Cuba),

Na Venezuela, o aparato repressivo e de inteligência cubana é tão arraigado ao Chavismo que são os oficiais da ilha que constituem a primeira linha de defesa do regime de Nicolas Maduro, exercendo um papel de protagonista na contenção dos protestos estudantis que abalaram o governo durante o primeiro semestre deste ano. 

"Na Venezuela, existem hoje mais de 500 oficiais da contra-inteligência cubana, em todas as áreas da atividade militar" e civil, disse Juan Reinaldo Sanchez, um ex-tenente-coronel do Ministério do Interior de Cuba, que há 17 anos atuou como guarda-costas pessoal de Fidel Castro. 


Estes 500 são oficiais cubanos oficiais operam por sua vez em pequenas redes de agentes e informantes Venezuelanos e Cubanos, e, assim, "têm o controle de toda a atividade política, civil e militar" no país. 

Porém a informação que é recolhida não é transmitida diretamente ao regime Venezuelano



"Primeiro Cuba recebe a informação ,e em seguida, passam para os altos dirigentes civis e militares da Venezuela ",explicou Sanchez em uma entrevista, onde ele afirmou que Havana é quem decide o que deve ser relatado para Maduro. 



Espionagem e repressão tornaram-se um negócio lucrativo para o Castro, que aumentou gradualmente a sua influência em países-chave na região, onde oferecem desde o serviço de segurança e treinamento de pessoal até os serviços diretos de seus próprios agentes. 



Parte dos serviços de segurança são fornecidos por uma grande rede de espionagem criada por Cuba na Venezuela. 


Mas a ilha também oferece sistemas para espionar as pessoas, usando tecnologia fornecida por empresas estatais como Albet, Xetid e DATYS. 


Esta tecnologia, é baseada em cópias de programas e equipamentos de primeira geração, é usada para classificar e espionar melhor a sociedade, a fim de manter uma vigilância sobre as atividades de opositores . Especialmente para aqueles que poderiam ser considerados uma ameaça ao regime, disse o ex-conselheiro de segurança do governo venezuelano, Anthony Daquin , que trabalhou diretamente em alguns dos projetos operados por Albet . 


Estas empresas cubanas obtiveram contratos lucrativos na Venezuela, mas também tem operações em países como a Bolívia, Argentina ,Equador e Nicarágua, disse Daquin 



As fontes consultadas, também incluíram ex-funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) que disseram que essas empresas têm sido instrumentos fundamentais para o desenvolvimento de um mapa gigante da oposição na Venezuela, com bancos de dados, que incluem as informações mais íntimas de cada pessoa que o governo tenha interesse ,desde a identidade do seu mais próximo parente até o que eles expressam em redes sociais e os bens materiais que possuem. 


Mas quem opera estas bases de dados é o pessoal cubano ,disse Sanchez, autor da vida oculta de Fidel Castro . 


"Eles [os oficiais cubanos] têm o compromisso de treinar o pessoal venezuelano, mas aqueles que estão sempre na primeira linha são os cubanos", disse ele.

As Operações de inteligência cubanas têm uma longa história na América Latina, desempenhando um papel importante no Chile, durante o governo de Salvador Allende, e em seguida, Daniel Ortega na Nicarágua, explicou Brian Latell, um ex-oficial para a América Latina da Agência Central de Inteligência e autor do livro "os Segredos de Castro, a inteligência cubana, a CIA e o assassinato de John F. Kennedy." 


"Ortega provavelmente não teria chegado ao poder na insurreição contra Somoza se Cuba não tivesse fornecido apoio militar e de inteligência. A maior parte deste apoio foi fornecido clandestinamente, mas foi um apoio massivo " disse Latell em uma entrevista por telefone. 


Mas as operações cubanas no Chile, Nicarágua e, posteriormente, Granada, podem ser comparadas com o que os Castros tem montado na Venezuela. 


"Os cubanos estão fazendo tantas coisas na Venezuela que estão praticamente colonizando esse país. O serviço de inteligência da Venezuela, é praticamente um apêndice do serviço de inteligência cubano ", disse ele. 


A ligação entre Chávez e os serviços de inteligência cubanos foi gradual, começando com a recomendação feita por Fidel Castro ao falecido Hugo Chávez, sobre a inconveniência de transferir a sua segurança ao pessoal venezuelano. 


"O que é alegado por parte de Fidel, é uma razão muito óbvia, que não se deve confiar sua segurança para as organizações que estavam comprometidos com os regimes anteriores, porque não seriam fiéis e por isso deveria procurar outros homens que poderia confiar , porque eles é que teriam em suas mãos a sua vida ", disse Sanchez. 


"E a partir daí começou o apoio consultivo, ajuda que logo em seguida, iria aumentar, pois a fim de realmente garantir a segurança, você tem que ter informação e foi proposta a expansão do âmbito do trabalho porque se necessita de informação sobre sinais de atentados e golpes de estado ", acrescentou. 



E essas operações cresceram a tal ponto que acabaram se tornando a principal fonte de inteligência de Chávez durante os últimos anos de seu mandato. 


Isso se refletiu no trabalho do WikiLeaks, que em telegramas do Departamento de Estado e em relatórios da empresa de inteligência privada Stratfor ilustrou o grau de dependência que Chávez chegou a ter com a inteligência cubana. 




"A capacidade de inteligência venezuelana recebeu um forte impulso após Chávez ter se aliado a Cuba [...] É por isso que Chávez é tão endividado com [eles] [...] o regime pode detectar todo complô com antecedência e pode manter a oposição vigiada devido ao grande número de cubanos envolvidos na coleta de inteligência ", disse o analista da Stratford em um e-mail interno. 

"A única coisa a lembrar é que o SEBIN nunca foi tão eficaz (pelo menos internamente) se não fosse pelos cubanos. Se Cuba decidisse retirar a sua cooperação, Chávez teria que desenvolver alguma capacidade de inteligência de forma rápida, porque caso contrário, estaria lascado ", acrescentou o analista. 

O número de agentes cubanos que operam em Cuba têm crescido ao longo do tempo, a ponto de atualmente existir uma extensa rede. 

Sanchez explicou que o serviço de inteligência cubano tem tratado de replicar na Venezuela os esquemas usados ​​na ilha, onde os oficiais monitoram pequenas redes de agentes e informantes entre quatro a cinco membros. 

.A informação pode vir diretamente do pessoal vinculado aos programas de cooperação cubana , como Barrio Adentro, e cada um dos médicos, enfermeiros ou preparadores físicos contam com um "agente" de inteligência que recolhe informações em seu computador. 


Esse agente, por sua vez, relata a informação recolhida ao oficial que controla ele. 


Mas nem todos os membros da rede são cubanos. Muitos são os venezuelanos que têm uma forte ligação com a ideologia marxista, alguns deles formados em Cuba. 


Um dos informantes venezuelanos mais conhecido é é um ex-apresentador de televisão Chavista Mario Silva, cujo relatório a um operador cubano foi gravado e distribuído publicamente nos meios de comunicação. 

Em Cuba este é o esquema usado para controlar desde a rua até os ministérios, onde um ministro pode estar inconscientemente sendo monitorado sem saber por uma secretária que poderia ser uma das informantes na rede.



Na Venezuela, a cobertura de inteligência não chegou a tais extremos, mas é bastante ampla, o suficiente para manter um olho sobre qualquer pessoa que pudesse representar uma ameaça para o poder exercido por Maduro, disse Sanchez. 


Editado e traduzido pelo Blog Alagoas Real.
Se copiar é obrigatório citar a fonte original,e o Blog Alagoas Real,com seus links anexos!
ANTONIO MARIA DELGADO

Antonio María Delgado en Twitter:@DelgadoAntonioM
Leia Mais ►

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

O socialismo transformou o povo cubano em ladrão

O problema está tão enraizado na sociedade Cubana que as fronteiras entre o legal e o ilegal são diluídas. Ser desonesto é uma questão de sobrevivência.

O socialismo transformou o povo cubano em ladrão


Recentemente no semanário Sierra Maestra foi anunciada a prisão realizada na rua do chefe do almoxarifado do Hospital Provincial Saturnino Lora, que foi encontrado transportando uma certa quantidade de filme de raios-X .Em uma pesquisa posterior em sua casa foi encontrado outros instrumentos médicos tais como seringas, soros e muito mais, tudo para vender no mercado negro. 

Este crime é comum na sociedade cubana atual : utilizar as chefias como um meio para ganhar mais renda, aproveitando as dificuldades e escassez de ofertas no varejo. Na verdade, a opinião popular é que todos os chefes são "vivebien," entenda como ladrões. 


Os grandes líderes roubam, não há dúvida sobre isso. Basta olhar para as comemorações oficiais pomposas. O problema é que as pessoas não podem enfrentá-los,não temos um Parlamento para questionar a eficiência da sua gestão, e nem uma oposição que exija auditoria das contas pessoais ou que denuncie a corrupção.

Os líderes se sentem invulneráveis ​​até que se tornem muito evidente ou caiam em desgraça com o Líder Supremo. Suas punições, na maioria dos casos, são "caer para arriba" (outra expressão popular) ou são silenciados com outras "funções". 


A falta de democracia e transparência do sistema é a principal fonte de imprudência e imunidade. A verticalidade totalitária condena a maioria a aquiescência automática e a dissimulação. 


O velho ditado popular é que roubar o Estado não é roubar, é "lutar". De acordo com o discurso oficial é um governo do povo e para o povo, e a propriedade é de todos- por que então não nos sentimos como o nossa? Porque uma coisa é o discurso oficial e a outra é a realidade cotidiana. A dissociação das pessoas dos meios de produção é completa, daí a indolência ao desperdício ou desvio de bens do Estado. 

Ante o roubo a uma empresa estatal é comum ouvir comentários como: "Isso não é meu, é de Fidel". E mais tarde, se compra o sabão ou detergente roubado sem sombra de dúvida. 



E se estes são os chefes, o que resta para o cidadão comum? Roubar também. Se você trabalha em uma farmácia, vende medicamentos. Se você trabalha em uma escola, você vende os poucos materiais escolares. Um fumigador vende a gasolina da máquina.Se é um funcionário público,você suborna para que resolva seu problema. Cada qual aproveita o que tem,e tudo se vende, porque não há nada. 

Muitos vão dizer que sou radical, que existem pessoas honestas que não tiram um alfinete. É verdade, mas essas mesmas pessoas compram o óleo, carne ou outros produtos no mercado negro, sabendo que é roubado. Ou utiliza os recursos do seu trabalho em seu proveito , e isso também é roubar. 

Na verdade, o setor privado ou auto-emprego é baseado no roubo, porque a falta de um mercado grossista obriga-os a estocar no mercado negro, que em cem por cento prospera do roubo dos cofres do Estado. 


O problema está tão profundamente enraizado na sociedade cubana que as fronteiras entre o legal e o ilegal são diluídas. Ser desonesto é uma questão de sobrevivência, já que os salários miseráveis ​​e a falta de produtos básicos obrigam o povo a cometer crimes. 


O mais triste é que os jovens são formados nestas circunstâncias. Ver a "luta" dos seus pais os faz supor assumir que o roubo como natural, e com certeza eles vão seguir esses modelos perturbados. 

À luz da experiência de meio século de socialismo cubano, ocorre-me a atualizar com uma frase o conceito mais difundido da revolução do nosso invicto líder : ". Revolução é roubar tudo o que pode ser roubado"

Editado e traduzido pelo Blog Alagoas Real.
Se copiar é obrigatório citar a fonte original,e o Blog Alagoas Real,com seus links anexos!


El socialismo ha convertido al pueblo cubano en ladrón
Leia Mais ►

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Site Avaaz é suspeito de "segurar" abaixo-assinado pelo impeachment de Dilma

Avaaz BR,controlado por petista ,será denunciado à matriz nos EUA por‘segurar’ abaixo-assinado do impeachment de Dilma
 Impeachment de Dilma - Avaaz BR
Petição :Impeachment da Presidente Dilma


"O site de abaixo-assinados Avaaz manteve “congelada” durante toda esta terça-feira (28) a petição que pede o impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT), em razão dos desacertos do seu governos e os inúmeros casos de corrupção. O Avaaz divulgou nota em seu site atribuindo o “congelamento” das adesões ao impechment à “grande quantidade de tráfego”, mas outras petições no site continuam funcionando normalmente, mesmo com grande número de adesões.

Internautas indignados com o que chamam de “manipulação”, decidiram denunciar a gestão brasileira à sede na ONG, em Nova York, Estados Unidos. O Avaaz no Brasil é comandado pelo militante petista Pedro Abramovay, um advogado que foi casado com uma filha do ex-ministro da Justiça e criminalista. Feito assessor no Ministério da Justiça no governo Lula, no governo Dilma Abramovay foi nomeado secretário nacional Antidrogas, mas escandalizou até mesmo sua chefe ao defender redução pena para traficantes, por meio de uma intrigante “descriminalização de pequenos traficantes”. Acabou demitido." 

Fonte: Coluna Cláudio Humberto Leia mais
Leia Mais ►

Marcadores